Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

N Dicas

As melhores dicas de finanças, automóveis, emprego, formações, saúde e lifestyle!

N Dicas

As melhores dicas de finanças, automóveis, emprego, formações, saúde e lifestyle!

  • Obras a cargo do Senhorio e Despesas para IRS

    Sabe quais são as obras ao encargo do senhorio? E o inquilino pode ser reembolsado pelas obras que possa fazer?

    Este artigo vai esclarecer todas as suas dúvidas.

     

    OBRAS A CARGO DO SENHORIO:

    - Todas as obras são a cargo do senhorio, a não ser que, senhorio e inquilino tenham acordado o contrário por escrito. Se o senhorio não fizer as obras necessárias, o inquilino pode cancelar o contrato;

    - Se o inquilino quiser fazer obras precisa de autorização por parte do senhorio, a não ser que seja algo urgente, como uma inundação;

    - Se o senhorio demorar muito a tratar das obras, o inquilino pode avançar e tem direito a reembolso das obras licitamente feitas. Deve guardar todos os comprovativos de pagamentos;

    - Os contratos podem ter cláusulas que não permitem pedidos de indemnizações por parte do inquilino se fizer obras, mesmo sendo autorizadas pelo senhorio;

    - O inquilino pode fazer pequenas alterações estéticas, como por exemplo, furos para pendurar quadros ou para colocar aparelhos;

    - Apesar destas alterações, o inquilino deve preservar e entregar a casa no mesmo estado em que foi entregue.

     

    obras-do-senhorio-e-despesas-irs.jpg

     

     

    DESPESAS IRS: OBRAS A CARGO DO SENHORIO

     

    As obras a cargo do senhorio podem ser deduzidas, mas não podem é ser superiores ao valor de rendas recebido nesse ano. Pode também deduzir despesas de condomínio, seguros e IMI. Todas estas despesas vão para o quadro 4 do anexo F na declaração IRS

     

    E-Fatura: Saiba como validar as suas faturas

    Uma das coisas que tem de fazer até ao dia 15 deste mês é a validação de faturas no portal das Finanças. Como a data da entrega do IRS se aproxima, hoje decidimos dar-lhe uma ajuda para que saiba validar as suas faturas no e-Fatura.

     

    Antes de lhe explicar como se procede no portal do e-Fatura, convém ter bem ciente que apenas as suas faturas com NIF é que são dedutíveis no IRS. Portanto, faça uma selecção antes de perder tempo com as faturas desnecessárias.

     

    como-validar-as-faturas-no-portal-do-e-fatura.png

     

     

    À partida, se colocou contribuinte numa determinada compra, essa fatura em princípio já deve constar na lista, tendo em conta que as empresas até ao dia 20 do mês seguinte à compra são obrigadas a introduzir as faturas que emitiram com contribuinte.

     

    Colocar contribuinte nas faturas permite recuperar parte do IVA suportado nas despesas de restauração, beleza, estética e reparações automóvel, assim como participar no sorteio da fatura da sorte.

     

    Para confirmar as faturas basta aceder ao portal do e-Fatura e na opção Menu, seleccionar Consumidor para se autenticar.

     

    Assim que entrar nesta zona do sistema, aparece-lhe um quadro com todas as suas faturas registadas até ao momento. Se porventura tiver curiosidade em ver quem comunicou, clique em verificar fatura.

     

    Uma vez que as suas faturas já estão registadas, deve confirmar se as mesmas estão correctas e se porventura detetar algum erro, pode sempre fazer essa alteração.

     

    Está a verificar as suas faturas e repara que algumas não foram inseridas, pode ainda fazer esse acréscimo da seguinte forma: Faturas » Consumidor » Registar Faturas.

     

    Para inserir as faturas são lhe pedidos alguns dados como: o NIF do comerciante, o tipo e número de fatura, data de emissão e os valores a que respeita, a taxa de IVA aplicável e não se preocupe com mais nada, o sistema trata de introduzir essa fatura na sua lista com o seu número de contribuinte.

     

    Não se esqueça a validação de faturas relativas a 2016 podem ser feitas até dia 15 deste mês de Fevereiro.

     

    e-fatura-como-validar-as-faturas-online.png

    Como preencher o IRS em 2017: Passo a Passo!

    A pensar no facto das pessoas terem alguma dificuldade em preencher o IRS, hoje decidimos explicar-lhe de uma forma bem simples e resumida, como preencer o IRS passo a passo.

     

    Para este ano 2017, a entrega do IRS acontece tudo entre a mesma data, ou seja, não há excepções à regra! A entrega do IRS em 2017 ocorre entre 1 de Abril e termina dia 31 de Maio.

     

    como-preencher-o-irs-passo-a-passo-2.jpg

     

    Com as novas regras, alguns contribuintes terão a oportunidade de fazer a entrega do IRS de forma automática, ou seja, apenas têm de confirmar e validar a informação que consta na declaração provisória. Sendo que esta declaração provisória estará disponível para o regime de tributação separada ou conjunta (no caso dos casais ou unidos de facto).

     

    Como preencher o IRS passo a passo? Tome nota das seguintes dicas:

     

    Em primeiro lugar tem de pedir a sua senha de acesso ao Portal das Finanças, caso ainda não tenha, basta ir ao site das finanças e do lado direito selecionar a opção “Novo Utilizador”, basta preencher o formulário com os seus dados e dentro de dias recebe uma carta em casa com a sua senha.

     

    O passo seguinte é entrar no Portal com o seu NIF e a sua senha de acesso e seleccionar do lado direito a opção “Entregar Declaração”, vai aparecer uma mensagem carregue em Ok.

     

    Depois de estar no local certo para entregar a declaração, obtenha a sua declaração pré-preenchida, desta forma o processo torna-se bem mais simples, sendo apenas necessário verificar se os dados estão todos correctos. Agora em 2017 o processo de entrega vai ser bem mais facilitado, sendo que todos os dados para alguns contribuintes já estarão inseridos.

     

    Verifique todos os dados inseridos na folha de rosto, ou seja, ao todo são 14 quadros que tem de confirmar.

     

    Verifique o Anexo A que é relativo aos rendimentos de trabalho dependente e/ou pensões.

     

    Verifique a categoria B que é relativa aos rendimentos empresariais e profissionais, caso os tenha.

     

    Verifique o anexo H que é relativo a todas as suas despesas da habitação, da saúde, da educação. Em 2017 se tudo correr bem a maior parte das declarações já estarão todas prontas a enviar, graças ao E-Fatura.

     

    Depois de confirmar todas as informações, basta carregar em validar e se não permitir avançar, corrija alguns erros que tenham sido detectados.

     

    Após o envio carregue na opção de “Simulação” e verifique se tem algo a receber ou a pagar.

     

    Grave tudo e termine o processo através da opção “Submeter”.

     

    Nesta fase o seu IRS está entregue e tem de voltar ao Portal das Finanças 48h após o envio para verificar se este foi aceite.

     

    como-preencher-o-irs-passo-a-passo.jpg

    IRS 2017: Prazos de Entrega e Regras - Mudanças ao preencher a declaração

    Todos os anos são lançadas novas leis, todos os anos são lançadas novas regras. Hoje aqui pelo N Dicas vamos abordar as questões do IRS 2017: Prazos, Regras e Mundanças.

     

    Este assunto é super importante e muitas pessoas procuram esta informação e por isso mesmo achamos bem partilhá-la consigo, para que desta forma possa ficar a par das novidades para 2017.

     

    irs-2017-prazos-regras-e-mudanças-2.jpg

     

    Relativamente à entrega do IRS em 2017 com os rendimentos de 2016 faz-se na seguinte forma: Pensionistas/Reformados (Categoria H) e Trabalhadores por conta dependente (Categoria A) são entregues de forma automática, sendo que nos restantes casos a entrega do IRS anual é obrigatória.

     

    A entrega de IRS de forma automática é uma realidade e para que não surjam dúvidas vamos esclarecer melhor este ponto. Ou seja, os rendimentos pagos pelo empregador, as despesas do sistema e-Fatura, os recibos de renda eletrónica etc., são informações enviadas ao longo do ano diretamente à Autoridade Tributária e Aduaneira. Com base na informação recebida até dia 15 de Fevereiro, o sistema efetua o IRS de forma automática, sendo que o contribuinte pode verificar e alterar dados. A partir da confirmação do contribuinte, a declaração de rendimentos é considerada entregue.

     

    Nota – O contribuinte poderá reclamar de alguma incorreção detetada, assim como entregar uma declaração de substituição nos 30 dias seguintes à liquidação, sem sofrer qualquer tipo de penalidade.

     

    Outra alteração para IRS 2017 muito importante: Datas de entrega de IRS. Estes passam a ser entregues num único prazo, seja ela feita em papel ou entregue pela internet. Os contribuintes deverão entregar o IRS em 2017 entre o dia 1 de Abril e 31 de Maio, independentemente do tipo de rendimentos recebidos.

     

    A opção de tributação conjunta ou separada foi alargada e temos novas regras para IRS em 2017: Este ano já vai ser possível entregar IRS em conjunto, mesmo se o casal entregar o IRS fora do prazo legal. Desde sempre que estas regras estavam vedadas por lei, sendo que o casal após determinada data teria de entregar individualmente. Finalmente temos o prazo alargado para 2017.

     

    Os escalões de IRS também sofreram alteração, não relativamente à sua quantidade, visto que continuam a ser cinco os escalões de IRS para 2017, mas os seus valores aumentaram e são os seguintes:

    1) Rendimentos até 7091€ apresentam uma taxa média de 14,50% não tem nenhum custo;

    2) Rendimentos >7091€ até 20.261€ apresentam uma taxa média de 23,60%, o que se traduz numa parcela de 992,74€ a abater;

    3) Rendimentos >20.261€ até 40.522€ apresenta uma taxa média de 30,30%, o que se traduz numa parcela de 2.714,93€ a abater;

    4) Rendimentos >40.522€ até 80.640€ apresenta uma taxa média de 37,61%, o que se traduz numa parcela de 5.956,69€ a abater;

    5) Rendimentos >80.640€ tem que abater 8.375,89€.

     

    irs-2017-prazos-regras-mudanças-como-vai-ser.jpg